A menstruação na Europa feudal

A menstruação na Europa feudal

No fim da idade média, na Europa feudal, a igreja católica continuava a interferir na vida dos casais, mas o seu papel se tornava mais superficial e amigo diante do poder dos senhores feudais e do distanciamento das populações campesinas. No limiar da renascença no século 15, os narradores revelam maior ceticismo em relação à virgindade das moças. Entretanto, as donzelas da burguesia dificilmente tinham relações sexuais antes do casamento sem as consequências inevitáveis, e nem tão pouco cogitava-se falar dos sintomas da tpm. É verdade que, naquela época, o coitos interruptos já era conhecido e praticado pelos mais espertos. As aventuras passageiras ou repetidas eram inevitáveis, tanto dentro de casa, entre os parentes e os serviçais, quanto fora dela.

Sintomas da TPM na Europa feudal

A presença das prostitutas em todas as cidades era assegurada pela demanda de um número enorme de celibatários que não podiam ou não desejavam assumir as responsabilidades, e os riscos do casamento. Em Veneza no século 16, em torno de 1530, estima-se que havia 11.000 prostitutas na cidade, uma fartura que refletia a enorme demanda. As saídas cotidianas ofereciam oportunidade para encontros, conversas desonestas e propostas de encontros furtivos.

Fragilidade moral

A fragilidade moral da época e os riscos decorrentes desses encontros tornaram-se um grande preocupação para igreja. Os sermões não pareciam ser ouvidos ou assimilados; então, a igreja julgou necessário intervir. No século 14, os Frades dominicanos e franciscanos tentaram recuperar a credibilidade, corpo-a-corpo, visitando as famílias em suas casas e tornando-se conselheiros, confidentes daqueles que não se dispunham ao vivos na igreja. A aproximação dos frades tornou a prática da confissão mas frequente e aumentou o controle da igreja sobre a vida íntima das pessoas.

Os educadores e confessores passaram a impor a seus pupilos e penitentes um treinamento para resistir às tentações que lhe chegavam pelos sentidos, os financiadores da concupiscência. O olhar; Em toda parte onde encontrar e ocasião para o pecado, baixa os olhos. O Programa de Treinamento inclui a obviamente a sexualidade (dos casados, já que a dos não casados em princípio não podia existir). Não se podia casar nos períodos proibidos pela igreja (pecado mortal se houver consumação) nem fora dos lugares convenientes, nem nos períodos canônicos – Quaresma ou momentos de penitência.

Europa Feudal

Proibições impostas

Era proibido praticar a sodomia (pecado mortal, gravíssimo) e havia posturas consideradas inconvenientes (pecado mortal). O programa da Igreja exigia o engajamento de centenas de Frades espalhados pelas cidades, além das lideranças políticas e administrativas interessadas em trazer a ordem e a obediência civil de obter sem a ameaça da danação.

Mas não era só a igreja e as autoridades que se preocupavam com o corpo e os sentidos – os moralistas convocavam a montar guarda diante dessas janelas que são os olhos, a boca, as orelhas, as narinas, pois “por aí penetravam o gosto pelo mundo, o pecado e a podridão” Entre os fracos e os germanos, o essencial do casamento era sua consumação e a coabitação. Era importante para mulher adoração suplementar que, na manhã seguinte as bodas, o marido fazia a esposa, chamada de monge gabi, ou presente matinal, e que representavam agradecimento por tê-la encontrado virgem.

Sintomas da tpm na Europa

Obviamente, a virgindade era conhecida ou confirmada como ainda é hoje, pela ocorrência de sangramento durante o coito nupcial. Totalmente ignorante em anatomia humana, sobretudo em relação a existência do hímen, os maridos baseavam seu julgamento na mancha de sangue que a luz do sol revelava na manhã seguinte. Apesar de somente a partir do século 10 a virgindade assumir uma condição para uma jovem aspirar a um primeiro casamento, a doação dos maridos atesta a pureza do sangue das esposas.

“A pureza da mulher é fundamental tanto por motivos religiosos quanto sociais. Incute-se assim, no inconsciente coletivo ou no Imaginário social, a íntima convicção de que a pureza é Idêntica a limpeza e que se deve fazer de tudo para evitar que as mulheres se maculem.” Encontramos aí a velha crença romana pagã do estupro, mácula indelével que torna o casamento impossível.

Experiência de um ano de casado

Como manter um bom relacionamento?

Me chamo Paulo tenho 25 anos faz um ano que sou casado com a Clara, namoramos a quatro anos ela tem 23 anos de idade, resolvemos casar assim que arranjei emprego. Trabalho como soldador em uma empresa e ela é secretária em um consultório dentista. Me amarrei na dela por que ela sempre foi independente, sempre correu atrás do que queria.

Na parte sexual a gente sempre combinou,  gostávamos de fazer sexo em lugares inusitados, quando namorávamos a primeira vez que isso aconteceu foi em uma excursão pro museu, foi no banheiro, depois disso fizemos em festas, carro, até em cima da moto, esse dia foi bem complicado, mas no fim deu tudo certo.

Estava indo tudo tranquilo, eu me dava bem com a família dela e ela com a minha, e o nosso relacionamento sempre foi bom. Na nossa lua de mel fomos para o norte por uma semana, curtimos as praias de águas mornas, mesmo na volta a parte sexual estava normal, mas depois de 6 meses de casamento comecei a ter problemas na hora do sexo, eu estava broxando quase sempre e não entendi o porquê, eu não conseguia manter a ereção e começou a atrapalhar nosso relacionamento, minha mulher estava desconfiando de mim, mexendo no meu celular vendo minhas redes sociais achando que eu estava com outra, mas não era isso. Adquira esse estimulante!!!

Com passar do tempo, fomos nos afastando e eu tinha que fazer algo então fui ao médico expliquei o que estava acontecendo, e o que isso estava causando na minha vida, ele pediu uns exames e concluiu que eu estava sofrendo de disfunção erétil devido eu ter diabetes, ele me passou pro especialista em diabetes e disse para eu me cuidar.

Voltei pra casa naquele dia com o ânimo pra baixo, como eu ia falar isso pra Clara, eu não sabia como, mas eu tinha que dizer, quando ela chegou do trabalho pedi que ela sentasse contei tudo a ela e o motivo do meu problema sexual. Nem eu nem ela sequer pensamos que diabetes poderia causar disfunção erétil, mas ela disse pra eu me tratar, comecei tomando insulina e mudando minha alimentação, fiquei nessa por 4 meses e nada de melhorar a parte sexual, mesmo com o tratamento.

Voltei ao médico ele me passou novos exames e me disse que o problema era a diabetes e pra continuar com os remédios. Faz um ano que continuo, não tenho funcionado tão bem na hora do sexo, e estou meio perdido por causa disso, já tentei usar sucos, comidas diferentes, métodos diferentes.

Tentamos fazer sexo em lugares inusitados para ver se minha performance melhorava, mas nada adianta, nesse tempo o sexo tem sido complicado, tendo que tentar diversas vezes por noite e às vezes não conseguir manter a ereção.  tenho procurado em todos os lugares algo que faça minha vida sexual voltar ao normal. Não sei o que fazer, estou bem perdido em relação ao que fazer para me ajudar. O que eu faço agora? 

Depoimentos e curiosidades.

Problema de disfunção erétil que atinge homens, deveria ser mais considerada, pois afeta diretamente a parte estrutural da harmonia do indivíduo.

 

Imaginem essa realidade

Como a maioria dos homens Danilo não sabia que cerca de dois milhões de homens só no Brasil sofrem de disfunção erétil e nem sabia que iria entrar pra essa lista. A história de Danilo começa quando ele completou 24 anos de idade, apesar de jovem ele passou por isso.

Quando estava solteiro focado no trabalho pra juntar uma grana pra viajar pro exterior, ele não ligava muito pra ficar com alguém, suas experiências sexuais também não eram muito legais, ele sempre tinha problemas na hora do sexo, na adolescência teve problemas para manter a ereção, coisa que levou para outros relacionamentos. Anvisa orienta.

Ele sempre deixava de lado, seu pai insistia para que ele namorasse, mas ele não queria, sentia certo receio por esse problema. Ele trabalhava em uma loja de carros, era vendedor, tinha conseguido o emprego através do seu melhor amigo, o Vitor. Foi através dele que também conheceu a Thais, uma garota que cursava direito que também era amiga do Vitor.

Eles se conheceram em uma festa que o Vitor fez no seu apartamento, o Danilo era de família humilde, nunca faltou nada, mas também nunca foi de luxo isso o fez um cara pé no chão. Ele a conheceu o assunto rendeu, trocaram números e na hora ele não pensou no problema sexual, na real ele já sabia o que tinha, mas fingia que não existia essa questão na sua vida.

A compreensão e apoio delas é muito importante

Com o passar do tempo eles saíam, foram a festas, bares, sociais juntos rolou o primeiro beijo, ela sempre o encontrava depois do expediente e ele sempre ia buscar ela na faculdade, mas ele sabia que uma hora ele não poderia fugir da questão sexual, e então ele resolveu conversar com seu amigo sobre, quando falou sobre o problema seu amigo logo disse para ele usar viagra, mas ele não queria algo tão pesado queria algo melhor que não corresse o risco de fazer mal.

Então foi ai que ele se arriscou, combinaram de ir pra casa dela, e quando foi pro finalmente ele broxou, a cara de decepção da garota foi deprimente, depois disso ele saiu apressado de lá, e não falou com ela por uma semana. Quando o seu amigo contou pra ela do problema dele então ela foi atrás dele no seu trabalho e disse que sabia do seu problema. Ela pediu eu ele procurasse um médico e foi o que ele fez.

O médico disse o que ele já sabia, era disfunção erétil, ele começou o tratamento e mesmo com isso tudo, os remédios ele se sentia estressado e com o psicológico bem abalado, sabia que isso tinha que acabar, mas como? Ficou um tempo sem sair, e faltou o trabalho, mesmo com os medicamentos, ele ainda tinha dificuldades. Entenda um pouco mais neste Espaço!!!

Como a maioria dos homens ele não sabe o que fazer. Está sem saída e não sabe o que fazer.  ele tem sorte de ter uma namorada compreensível e agradece a ela por ser paciente, mas sabe que tem que achar uma forma de tratar isso de maneira mais rápida e eficaz.